Steve Bannon, ex-assessor de Trump, é preso sob acusação de fraude

O Departamento de Justiça dos EUA afirmou em um documento que Bannon cometeu fraude para levantar dinheiro para uma campanha de apoio à construção de um muro entre os EUA e o México. S Steve Bannon durante uma coletiva em Roma, na Itália, em 2018 Alessandro Bianc/Reuters Steve Bannon, um ex-assessor do presidente Donald Trump e ex-estrategista-chefe da Casa Branca, foi preso após ter sido indiciado pelo crime de conspiração para cometer fraude para levantar dinheiro para uma campanha para apoiar a construção de um muro entre os Estados Unidos e o México, de acordo com um comunicado do Departamento de Justiça dos EUA nesta quinta-feira (20). Um porta-voz da promotoria federal dos EUA confirmou a prisão. Três supostos cúmplices também foram presos. Eles teriam usado fundos de campanha de forma inconsistente com o de uma representação pública. A campanha "We Built That Wall" (nós construímos o muro, em tradução literal) arrecadou US$ 25 milhões (cerca de R$ 142 milhões, na cotação atual) que foram doados de centenas de milhares de doadores. Segundo o Departamento de Justiça, ao menos US$ 1 milhão (R$ 5,64 milhões, na cotação atual) teriam ido para o próprio Bannon. Promotores federais em Nova York anunciaram que além de Bannon foram acusados Brian Kolfage, Andrew Badolato e Timothy Shea. Veja abaixo um vídeo sobre a demissão de Bannon. Donald Trump demite Steve Bannon, um de seus principais assessores Os doadores pensaram que o dinheiro iria para ajudar a construir um muro de fronteira, mas Kolfage recebeu milhares de dólares que usou para ele mesmo. Kolfage foi descrito como o rosto público e fundador da operação. Esta notícia está em apuração.

Steve Bannon, ex-assessor de Trump, é preso sob acusação de fraude
O Departamento de Justiça dos EUA afirmou em um documento que Bannon cometeu fraude para levantar dinheiro para uma campanha de apoio à construção de um muro entre os EUA e o México. S Steve Bannon durante uma coletiva em Roma, na Itália, em 2018 Alessandro Bianc/Reuters Steve Bannon, um ex-assessor do presidente Donald Trump e ex-estrategista-chefe da Casa Branca, foi preso após ter sido indiciado pelo crime de conspiração para cometer fraude para levantar dinheiro para uma campanha para apoiar a construção de um muro entre os Estados Unidos e o México, de acordo com um comunicado do Departamento de Justiça dos EUA nesta quinta-feira (20). Um porta-voz da promotoria federal dos EUA confirmou a prisão. Três supostos cúmplices também foram presos. Eles teriam usado fundos de campanha de forma inconsistente com o de uma representação pública. A campanha "We Built That Wall" (nós construímos o muro, em tradução literal) arrecadou US$ 25 milhões (cerca de R$ 142 milhões, na cotação atual) que foram doados de centenas de milhares de doadores. Segundo o Departamento de Justiça, ao menos US$ 1 milhão (R$ 5,64 milhões, na cotação atual) teriam ido para o próprio Bannon. Promotores federais em Nova York anunciaram que além de Bannon foram acusados Brian Kolfage, Andrew Badolato e Timothy Shea. Veja abaixo um vídeo sobre a demissão de Bannon. Donald Trump demite Steve Bannon, um de seus principais assessores Os doadores pensaram que o dinheiro iria para ajudar a construir um muro de fronteira, mas Kolfage recebeu milhares de dólares que usou para ele mesmo. Kolfage foi descrito como o rosto público e fundador da operação. Esta notícia está em apuração.